Translate

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Novembro


Meu silêncio reflete a dor... Dor da maior perda. Perda de mim mesma.
Minha agonia me sufoca com suprema força. É fortalecida pelo interminável Novembro.
Onde se esconde seu fim?
Minha angústia vem da lágrima que não cai... Como sobreviverei?
Por que você foi embora? Por que me decepcionou mais uma vez?
Ah Novembro, onde se esconde o seu fim?
E a minha dor me consome. Por que esse sentimento?
Irei encontrar, Novembro o seu fim, ou irei encontrar o meu fim?
Aquele Adeus... Por que não me dissestes?
Mais um dia, mais uma dor.
Ah Novembro, onde se esconde o seu fim?


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Doce Mentira

Lembro-me daquele sorriso. Daquelas palavras.
Ah! Aquelas palavras... 
Todas aquelas doces palavras que me faziam voar além das nuvens.
E de repente, você perdeu as palavras, você não sabia mais, não queria mais...
Mesmo sem conseguir, você sorria, mas o seu sorriso não era mais doce.
Possuía uma gosto amargo e não conseguia engolir... Porque você está mentindo pra mim?
Quero voltar!
Voltar para os dias em que essa dor não existia em mim.
Quero rever tudo aquilo.
Perceber que tudo era uma mentira!
Agora que tudo acabou, eu só quero o seu abraço, mesmo que me fure com os espinhos que há em seu coração.
Agora quero ser feliz com aquelas doces mentiras.
Quero aquele por do sol que trazia o brilho dos meus olhos.
Quero a mentira que me matou!
Eu preciso que você diga novamente que me ama, que esse amor nunca vai acabar.
Cada gota de lágrima que cai do meu rosto, é um segundo de um filme interminável que passa na minha mente. E por que não posso pausar?
Por que não posso?
Quero morrer!
Não aguento mais essa dor!
Então volte! Encontre  aquelas doces mentiras e me diga novamente a mais bela de todas elas.
Não diga adeus, porque eu não posso suportar.
Meus sentimentos ainda estão vivos!
Eu estou bem, mas eu sei que isso é uma mentira!
Eu te amo!



quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Final

Meu desejo de protegê-la é maior que minha vontade de viver...
Estão me matando! Corra! O mais rápido que puder. Salve-se!
Porque no final, nada restará.
Tudo será destruído.
Estão me matando! Onde está sua vida agora?
Sonhos, sorrisos... Corra!
Vá! Ficarei aqui e não deixarei que te peguem. Deixe-me ser seu Anjo.
O Anjo que irá te defender de toda a dor!
Estão me matando e eu não me importo de morrer, se for para te ver sorrindo.
Estão me matando... E tudo o que posso fazer é deixar-me morrer...
Eu te amo! E você não pode entender esse sentimento que não se explica.
Sorria!
Deixe-me partir com a mais encantadora visão desse mundo.
Eu te amo!
Não fui capaz de salvar o nosso futuro...
Minha vida inteira, dediquei a protegê-la... E não fui capaz!
Desculpe... Mataram-me!
Sei que você é frágil, mas corra agora! O mais rápido que puder! 
Não, não chore... Sorria!
Shh... Eu sei o quanto dói, mas você tem que correr porque...
Estão tentando te matar!



quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Dama da Meia-Noite

O mundo a condena por ter a estranha mania de trazer a felicidade.
Faz renascer a última a morrer.
Capaz de fazer o que o destino não se atreve a tentar.
É uma relíquia.
Uma riqueza das estrelas.
Traz o brilho da escuridão em seu delicado e profundo cheiro.
Seu toque tem a mistura inconfundível de paz e medo.
Suas emoções estão expostas e ocultas, trancafiadas.
E a visão que tem desse mundo é tão bela quanto a de uma rosa murcha.
Inspira confiança. Respira responsabilidade.
Forte e delicada. Suave e intensa.
De alma pura, apesar da corrupção que atinge seus olhos.
Os anos cansativos e longos trouxeram experiência e imensurável maturidade.
Dava a entender pela fala, que era anciã, mas pelo jeito inocente e sincero de agir, que era uma doce criança.
Seus olhos tão castanhos e tão convincentes hipnotizam qualquer um...
E eu estou eternamente encantada por ela...
A Dama da Meia-Noite.